terça-feira, 8 de janeiro de 2013

PLANEJAMENTO EDUCAÇÃO INFANTIL




 Saber quais são as competências essenciais a serem desenvolvidas pelas crianças da Educação Infantil é proporcionar meios de concretizar as intenções educativas estabelecidas. Segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, a prática da educação infantil deve ser organizada de modo a proporcionar aos alunos condições de:
>>desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações.
>>descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem-estar;
>>estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua autoestima e ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e interação social;
>>estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os dos demais, respeitando as diversidades e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração;
>>observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação;
>>brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;
>>utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas ás diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas ideias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;
>>conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação frente a elas e valorizando a diversidade.


JARDIM I

PORTUGUÊS


♥ OBJETIVO

1. Desenvolver percepção visual, auditiva, coordenação viso-motora.

2. Desenvolver Orientação temporal (começo, meio e fim).

3. Desenvolver Orientação espacial.
♥ CONTEÚDO
► Coordenação viso-motora:
1. Desenho livre.

2. Labirinto.

3. Pintura.

4. Recorte e colagem.

5. Traçado de linhas com movimentos livres e dirigidos.

► Percepção visual:
1. Cor.

2. Forma.

3. Tamanho

4. Detalhes.

5. Complementação de figuras.

6. Letras (a, e, i, o, u).

• Orientação temporal: começo, meio e fim, mais velho, mais novo, primeiro e último.
• Orientação espacial: dentro/fora, em cima, entre, em baixo, na frente, atrás, alto, baixo, perto e longe.

♥ Metodogia:
Folhas que promovam o interesse da criança. Pode-se também trabalhar as vogais com músicas. Trabalhar as noções do conteúdo no dia-a-dia da criança, explicando-a sempre que ocorrer dúvidas. Pode-se trabalhar também com jogos, brincadeira, histórias e músicas.


♥ AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora. O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
MATEMÁTICA

♥ OBJETIVO

Estimular o raciocínio lógico, estabelecendo relações entre os conceitos: todo, parte, igual, diferente, grande, pequeno, tamanho, cor, forma, etc.
Desenvolver o conceito numérico através da expressão verbal e gráfica.Desenvolver a noção de diferente medidas em relação aos objetos e ao tempo.

♥ CONTEÚDO

► Estruturas lógicas:
1. Discriminação (semelhanças e diferenças).

2. Comparação.

3. Identificação.

4. Conjuntos.

5. Correspondência.

6. Cores.

• Tamanho e formas (círculo, triângulo, quadrado, retângulo).
• Número de 1 a 9, quantidade (mais, menos, muito, pouco, cheio e vazio).

► Medidas:


1. Tamanho de objetos (pequeno, grande, maior, menor, grosso e fino).

2. Distância entre os objetos (longe, perto).


3. Velocidade (rápido, lento, devagar, depressa).

4. Massa (leve, pesado).

5. Temperatura (quente, frio).

6. Som (alto, baixo).

7. Tempo (muito tempo, pouco tempo, dia, noite, hoje, ontem e amanhã).

♥ Metodologia:
• Através do uso de material concreto e/ou dourado que promovam a discriminação.
• Através do uso de material concreto onde a criança consiga visualizar e conceituar a contagem dos objetos, e mais tarde a apresentação dos números em lousa, caderno, folhas de sulfite, cartazes e músicas.
• Através de material concreto que permita a visualização de diferente medidas, utilizando também jogos e brincadeiras. Em relação ao tempo é interessante o uso de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico, e o aniversário das crianças da sala.
♥ AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora. O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ESTUDOS SOCIAIS


♥ OBJETIVO
1. Identificar, nomear e se reconhecer como membro de sua família, reconhecendo sua importância e valor que possui em casa.

2. Desenvolver socialização.

3. Identificar os meios de transportes que circulam em nosso país, relacionando-os com o trânsito.

4. Identificar os meios de comunicação existentes em nosso país.

5. Identificar diferentes profissões, bem como sua importância para economia familiar e do país.

6. Estimular o reconhecimento da história Brasileira.
♥ CONTEÚDO

• Eu/Família/Casa.

• Escola

• Meios de Transporte/Trânsito.

• Meios de Comunicação.

• Profissões.

► Datas Comemorativas:


1. Carnaval.

2. Páscoa.

3. Dia Nacional do Livro Infantil.

4. Dia do Índio.

5. Dia do Trabalho

6. Dia das Mães.

7. São João.

8. Dia dos Pais.

9. Dia do Soldado.

10. Folclore.

11. Independência.

12. Dia da Árvore.

13. Primavera.

14. Semana do Trânsito.

15. Dia das Crianças.

16. Proclamação da República.

17. Natal e outros.


♥ Metodologia:
Através de figuras, desenhos, gestos, músicas, histórias e explicações sobre o significado de cada item, e produções de lembrancinhas que traduzam a data em questão.

♥ AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora. O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
CIÊNCIAS
♥ OBJETIVO
• Estimulação dos 5 sentidos, desenvolvendo a capacidade de auto-higiene e a identificação e nomeação das partes do corpo.

• Incentivar a importância ecológica, através da jardinagem e horticultura.

• Apresentar a diferença entre campo/cidade e praia, estabelecendo a noção de tempo.

• Identificar a importância da água para os seres vivos mostrando a diferenciação entre seres vivos e não vivos.

• Nomear e reconhecer diferentes animais.
♥ CONTEÚDO
. O corpo humano (os sentidos, hábitos de higiene, e partes do corpo).
. A natureza (dia/noite/tempo, água, campo, cidade, praia, seres vivos e não vivos, plantas e animais).


♥ Metodologia
• Exercícios e atividades que desenvolvam a visão, audição, tato, olfato e gustação. Incentivar também o lavar as mãos, escovar os dentes sempre que necessário, através de músicas e histórias, que despertem o interesse da criança.

• Plantar mudas e flores explorando o meio ambiente, livros e revistas que auxiliam a explicação sobre a natureza para o professor.
♥ AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora. O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
ARTES
♥ OBJETIVO
• Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.

• Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.

• Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.
♥ CONTEÚDO
• Artes: desenho livre e pintura.

• Sucata.

• Argila e massinha.
♥ Metodologia
• Utilização de lápis, pincéis, cola


. Com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.

• Material de sucata e criatividade do professor.

• Apresentação de argila e massinha.

♥ AVALIAÇÃO
Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora. O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.
♥ OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS
• Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

• Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.

• Permitir que a criança seja independente.

• Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

• Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

• Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

• Mantê-la ocupada.

• Levar a criança a participar das atividades de grupo.











ARTE COM MINGAU
IDADE: De 8 meses a 1 ano e meio.

TEMPO: 30 minutos.

ESPAÇO: Sala de atividades ou pátio.

MATERIAL: Maisena, corante alimentar e água.
OBJETIVO: Interagir com o espaço.
PREPARAÇÃO: Em uma panela, dissolva uma colher de sopa de maisena para cada copo de água. A quantidade é de acordo com o número de crianças ou o tamanho do espaço onde a atividade será realizada. Coloque pitada de corante até a mistura ficar com a cor que você deseja. Leve-a ao fogo e mexa até que se transforme em um mingau. Deixe esfriar. Avise os pais para mandarem roupas velhas no dia da brincadeira.Espalhe a mistura no chão da sala onde as crianças vão brincar. Deixe-as andar, engatinhar e rolar sobre o mingau, interagindo com o espaço. Atenção para que todos se divirtam e ninguém se machuque. Incentive as várias possibilidades de movimento.



PLANEJAMENTO JARDIM E PRÉ ESCOLA




PLANEJAMENTO JARDIM E PRÉ ESCOLA
JARDIM I - PORTUGUÊS


OBJETIVO

1. Desenvolver percepção visual, auditiva, coordenação viso-motora.

2. Desenvolver Orientação temporal (começo, meio e fim).

3. Desenvolver Orientação espacial.

CONTEÚDO

• Coordenação viso-motora:

1. Desenho livre.

2. Labirinto.

3. Pintura.

4. Recorte e colagem.

5. Traçado de linhas com movimentos livres e dirigidos.

• Percepção visual:

1. Cor.

2. Forma.

3. Tamanho

4. Detalhes.

5. Complementação de figuras.

6. Letras (a, e, i, o, u).

• Orientação temporal: começo, meio e fim, mais velho, mais novo, primeiro e último.

• Orientação espacial: dentro/fora, em cima, entre, em baixo, na frente, atrás, mais alto, mais baixo, mais perto e mais longe.

ESTRATÉGIA

Folhas que promovam o interesse da criança. Pode-se também trabalhar as vogais com músicas.

Trabalhar as noções do conteúdo no dia-a-dia da criança, explicando-a sempre que ocorrer dúvidas. Pode-se trabalhar também com jogos, brincadeira, histórias e músicas.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

MATEMÁTICA

OBJETIVO

Estimular o raciocínio lógico, estabelecendo relações entre os conceitos: todo, parte, igual, diferente, grande, pequeno, tamanho, cor, forma, etc.

Desenvolver o conceito numérico através da expressão verbal e gráfica.

Desenvolver a noção de diferente medidas em relação aos objetos e ao tempo.

CONTEÚDO

• Estruturas lógicas:

1. Discriminação (semelhanças e diferenças).

2. Comparação.

3. Identificação.

4. Conjuntos.

5. Correspondência.

6. Cores.

• Tamanho e formas (círculo, triângulo, quadrado, retângulo).

• Número de 1 a 9, quantidade (mais, menos, muito, pouco, cheio e vazio).

• Medidas:

1. Tamanho de objetos (pequeno, grande, maior, menor, grosso e fino).

2. Distância entre os objetos (longe, perto).

3. Velocidade (rápido, lento, devagar, depressa).

4. Massa (leve, pesado).

5. Temperatura (quente, frio).

6. Som (alto, baixo).

7. Tempo (muito tempo, pouco tempo, dia, noite, hoje, ontem e amanhã).

ESTRATÉGIA

• Através do uso de material concreto e/ou dourado que promovam a discriminação.

• Através do uso de material concreto onde a criança consiga visualizar e conceituar a contagem dos objetos, e mais tarde a apresentação dos números em lousa, caderno, folhas de sulfite, cartazes e músicas.

• Através de material concreto que permita a visualização de diferente medidas, utilizando também jogos e brincadeiras. Em relação ao tempo é interessante o uso de calendário mostrando o dia, mês, ano e tempo meteorológico, e o aniversário das crianças da sala.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

ESTUDOS SOCIAIS

OBJETIVO

1. Identificar, nomear e se reconhecer como membro de sua família, reconhecendo sua importância e valor que possui em casa.

2. Desenvolver socialização.

3. Identificar os meios de transportes que circulam em nosso país, relacionando-os com o trânsito.

4. Identificar os meios de comunicação existentes em nosso país.

5. Identificar diferentes profissões, bem como sua importância para economia familiar e do país.

6. Estimular o reconhecimento da história Brasileira.

CONTEÚDO

• Eu/Família/Casa.

• Escola

• Meios de Transporte/Trânsito.

• Meios de Comunicação.

• Profissões.

• Datas Comemorativas:

1. Carnaval.

2. Páscoa.

3. Dia Nacional do Livro Infantil.

4. Dia do Índio.

5. Dia do Trabalho

6. Dia das Mães.

7. São João.

8. Dia dos Pais.

9. Dia do Soldado.

10. Folclore.

11. Independência.

12. Dia da Árvore.

13. Primavera.

14. Semana do Trânsito.

15. Dia das Crianças.

16. Proclamação da República.

17. Primavera.

18. Dia da Árvore.

19. Natal e outros.

ESTRATÉGIA

Através de figuras, desenhos, gestos, músicas, histórias e explicações sobre o significado de cada item, e produções de lembrancinhas que traduzam a data em questão.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

CIÊNCIAS

OBJETIVO

• Estimulação dos 5 sentidos, desenvolvendo a capacidade de auto-higiene e a identificação e nomeação das partes do corpo.

• Incentivar a importância ecológica, através da jardinagem e horticultura.

• Apresentar a diferença entre campo/cidade e praia, estabelecendo a noção de tempo.

• Identificar a importância da água para os seres vivos mostrando a diferenciação entre seres vivos e não vivos.

• Nomear e reconhecer diferentes animais.

• CONTEÚDO

• O corpo humano (os sentidos, hábitos de higiene, e partes do corpo).

• A natureza (dia/noite/tempo, água, campo, cidade, praia, seres vivos e não vivos, plantas e animais).

ESTRATÉGIA

• Exercícios e atividades que desenvolvam a visão, audição, tato, olfato e gustação. Incentivar também o lavar as mãos, escovar os dentes sempre que necessário, através de músicas e histórias, que despertem o interesse da criança.

• Plantar mudas e flores explorando o meio ambiente, livros e revistas que auxiliam a explicação sobre a natureza para o professor.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

ARTES

OBJETIVO

• Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.

• Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.

• Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.

CONTEÚDO

• Artes: desenho livre e pintura.

• Sucata.

• Argila e massinha.

ESTRATÉGIA

• Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.

• Material de sucata e criatividade do professor.

• Apresentação de argila e massinha.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS

• Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

• Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.

• Permitir que a criança seja independente.

• Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

• Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

• Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

• Mante-la ocupada.

• Levar a criança a participar das atividades de grupo.





JARDIM II

PORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM

OBJETIVO

1. Ampliar a coordenação viso-motora, na busca do desenvolvimento integral da criança.

2. Desenvolver vocabulário, linguagem e a comunicação entre os alunos.

3. Reconhecer, ler e escrever vogais encontros vocálicos e o alfabeto.

4. Desenvolver interesse e atenção por músicas, leitura, histórias e escrita.

5. Preparar o aluno para que fique apto ao processo de alfabetização no Pré – 3º Estágio.

6. Iniciação as famílias silábicas.



CONTEÚDO

• Período Preparatório: traçar linhas (retas, curvas, sinuosas e mistas), desenho livre, labirinto, pintura, recorte, colagem, pontilhado, atividade gráficas e no caderno pedagógico, etc.

• Estudo das vogais: reconhecer, ler, traçar e escrever as vogais.

• Encontros Vocálicos: identificar, ler e escrever, palavras formadas apenas por encontros vocálicos.

• Estudo do Alfabeto: identificar visual e auditivamente as letras do alfabeto, cobrir e copiar as letras maiúsculas e minúsculas (de imprensa e cursiva).

• Famílias Silábicas: proporcionar aos alunos atividades referentes as famílias silábicas, de forma natural e espontânea, pois terão continuidade no Pré – 3º Estágio.



ESTRATÉGIA

• Utilizar: caderno, atividades gráficas, desenho, pintura colagem, recorte e o material escolar.

• Confeccionar cartazes, murais, parlendas, poesias e etc.

• Histórias, músicas, vídeo e livros.

• Atividades com sucatas (ex: embalagens).

• Jogos, brincadeiras e material pedagógico.



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua e diária através da participação, interesse e execução das atividades feita pelos alunos.

Correção das lições e atividades.

Verificação da aprendizagem: leitura, identificação e assimilação das atividades, exercícios gráficos.



JARDIM II

MATEMÁTICA –

OBJETIVO

1. Desenvolver e ampliar os conceitos matemáticos para que os alunos possam executar as atividades propostas com interesse, atenção e principalmente que ocorra assimilação e aprendizagem.

2. Identificar números, cores, formas geométricas, medidas, etc.

3. Desenvolver raciocínio lógico-matemático.

4. Desenvolver o processo de adição.



CONTEÚDO

• Estruturas Lógicas: discriminação: semelhanças e diferenças; conjuntos; identificação/comparação.

• Numerais: revisão dos números (0 até 9), idéia de unidade, número 0 (zero), unidade e dezena, idéia de ordinal, números de 0 até 20, quantidades: igual/diferente, mais/menos, cheio/vazio.

• Operação com Números: adição: total até 9.

• Espaço e forma: traçado de linhas: curvas (aberto/fechado), posicionamento: frente/ atrás, em cima/embaixo, dentro/fora, longe/perto, primeiro/último, direita/esquerda; identificação de figuras geométricas (círculo, triângulo, retângulo, quadrado).

• Medidas: tamanho: maior/menos, grande/pequeno; espessura: grosso/fino, largo/estreito.

• Fração: inteiro/metade.



ESTRATÉGIA

1. Utilizar: figuras, desenhos, cartazes, lousa, material escolar, caderno quadriculado, atividades gráficas.

2. Confeccionar: cartazes, murais, fichas, números.

3. Recorte, colagem e pintura.

4. Atividade com sucatas.

5. Músicas e histórias.

6. Jogos, brincadeiras e material pedagógico.



AVALIAÇÃO

Avaliação através das atividades realizadas pelos alunos e correções das lições, sempre verificando a participação, interesse e aprendizagem.

Avaliação contínua e diária desenvolvendo raciocínio lógico-matemático.



ARTES PLÁSTICAS

OBJETIVO

• Desenvolver a potencialidade criadora de cada aluno, respeitando suas naturais limitações.

• Desenvolver habilidades e formas próprias desenhando, pintando, construindo e modelando.

• Desenvolver o domínio de técnicas, instrumentos e procedimentos expressivos.

• Desenvolver a habilidade de discriminar cor, forma, dimensão, espaço, harmonia.



CONTEÚDO

• Desenho.

• Pintura.

• Impressão.

• Recorte.

• Alinhavo.

• Tapeçaria.

• Colagem.

• Modelagem.

• Dobradura.

• Montagem.

• Construção.



ESTRATÉGIA

1. Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.

2. Tinta, pincel, cola, tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.

3. Revista, jornal e sucata.

4. Barbante, lã, linhas, madeira, argila, algodão, gesso, garrafa, etc.



AVALIAÇÃO

Avaliação será continua e diária através dos trabalhos e atividades realizados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: criatividade, interesse, espontaneidades, auto-estima, capricho, atenção, curiosidade, raciocínio, cooperação, companheirismo e a motivação.



CIÊNCIAS

OBJETIVO

1. Identificar as diversas partes do corpo e suas funções.

2. Formar bons hábitos de higiene e saúde.

3. Identificar o valor nutritivo e a procedências dos alimentos.

4. Identificar e observar o processo de germinação e crescimento das plantas.

5. Identificar, distinguir e caracterizar os animais.

6. Desenvolver habilidades como: observação, analise, descrição, classificação e medida.

7. Explorar o ambiente em que vive.



CONTEÚDO

• As Partes do Corpo/Higiene e Saúde/Órgãos do sentido.

• Alimento/Culinária.

• Plantas/Horticultura.

• Animais.



ESTRATÉGIA

• Explorar o meio em que estamos.

• Confecção de cartazes, desenhos, figuras, fotos, atividades gráficas.

• Pinturas colagens, recortes.

• Horta.

• Passeios, excursões.

• Atividades com os próprios alunos (jogos e brincadeiras).

• Músicas, histórias, diálogos, conversa dirigida, atividade com sucatas.

• Alimentos (frutas, verduras, legumes).



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua e diária através das atividades e exercícios realizados e executados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: interesse, atenção, cooperação, espontaneidade, aprendizagem, capacidades de observação, análises e etc.



INTEGRAÇÃO SOCIAL

OBJETIVO

1. Adaptar a criança à escola e à vida social.

2. Promover condições de um convívio agradável.

3. Desenvolver atitudes de polidez, respeito e cooperação.

4. Adquirir habilidades sociais.

5. Compreender a necessidade da cooperação de todos os membros da família e da escola, entre si.

6. Desenvolver: atividades e conhecimentos sociais, habilidades de disciplina, independência e habilidades quanto ao trabalho.



CONTEÚDO

• Eu/Família.

• Casa/Comunidade.

• Escola.

• Meios de Transporte/Meios de Comunicação.

• Datas Comemorativas:

• (Alguns exemplos) Carnaval, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, 07 de Setembro, Dia das Crianças, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.



ESTRATÉGIA

1. Desenhos, cartazes, músicas, jogos, brincadeiras, atividades com sucata, folhas (atividades gráficas), pintura, recortes e colagens.

2. Festas, bailes, exposição, excursão ou passeios.



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua através das atividades e exercícios realizados e propostos aos alunos, no qual se verifica o: interesse, assimilação, compreensão, aprendizagem, comportamento, espontaneidade, capacidade, cooperação, participação e a execução das atividade.



INGLÊS

OBJETIVO

1. Desenvolver algumas noções sobre a língua estrangeira (inglês).

2. Executar as atividades propostas com atenção, compreensão e aprendizagem.

3. Desenvolver a linguagem de palavras, pequenas frases e músicas.



CONTEÚDO

• Cores.

• Números.

• Nomes de animais, alimentos, familiares, objetos, brinquedos, etc.

• Músicas.



ESTRATÉGIA

• Vídeo.

• Cartazes.

• Desenhos.

• Atividades gráficas.

• Pintura, colagem e recorte.



AVALIAÇÃO

Avaliação será feita através dos exercícios e atividades realizadas pelos alunos verificando a aprendizagem, assimilação e compreensão.Pronúncia e o interesse.



OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS

1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.Permitir que a criança seja independente.

3. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

4. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

5. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

6. Mante-la ocupada.

7. Levar a criança a participar das atividades de grupo.



PRÉ (alfabetização)



PORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM

I - PERÍODO PREPARATÓRIO

OBJETIVO

• Desenvolver coordenação motora fina.

• Discriminação esquerda direita.

• Organizar espacialmente os traçados no papel.

• Desenvolver coordenação viso-motora.



CONTEÚDO

1. Exercícios para desenvolver:

• esquema corporal;

• esquema espacial;

• orientação temporal;

• coordenação motora viso-manual (coordenação ampla e coordenação fina);

• percepções sensoriais (visão, audição, tato, olfato, gosto);

• lateralidade.

• Desenvolver campo lingüístico.



ESTRATÉGIA

• Exercícios gráficos em folhas.

• Jogos.

• Brincadeiras.

• Músicas.

• Histórias.

• Atividades com sucata.

• Cartazes.

• Atividades em caderno pedagógico.



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua e diária, observando e descrevendo o desempenho do aluno quanto à: participação, atenção, cooperação, interesse, execução das atividades, coordenação viso-motora, execução correta dos movimentos da esquerda para a direita.



II – ALFABETIZAÇÃO

1)- VOGAIS

OBJETIVOS

1. Identificar, ler e escrever as vogais.

2. Discriminar os sons oral e nasal.

3. Discriminar sons aberto e fechado.

4. Completar palavras de acordo com as figuras.

5. Traçar vogais corretamente.

6. Discriminar o som das vogais dentro de um contexto, utilizando músicas.



CONTEÚDO

Palavras-chave e vogais em letras maiúsculas, minúsculas, de imprensa e cursivas.

Exercícios para desenvolver o campo lingüístico: desenvolvimento da expressão oral, início da expressão escrita, leitura incidental.



ESTRATÉGIA

• Apresentação de histórias, músicas, poesias, parlendas.

• Execução de exercícios gráficos.

• Cartazes.

• Coordenação-motora: andar sobre a letra no chão, desenhar (no chão, na lousa).

• Pintura, recorte, desenho, colagem, atividade com sucatas (embalagem).

• Transcrição da letra de imprensa para letra cursiva.



AVALIAÇÃO

Avaliação diária. Através de exercícios orais e escritos o professor deve verificar se o aluno: traça corretamente as vogais, discrimina visualmente e auditivamente a vogal em estudo, lendo e escrevendo.

Avaliar o aluno através da participação, atenção e execução das atividades.



2)- ENCONTROS VOCÁLICOS/ VOGAIS NASALADAS

OBJETIVO

1. Identificar encontros vocálicos e vogais nasaladas.

2. Ler, escrever e empregar os encontros vocálicos.

3. Identificar o sinal gráfico ~ (til), ler e escrever.



CONTEÚDO

• Encontros vocálicos em letras maiúsculas, minúsculas de imprensa e cursivas.

• Vogais nasaladas: ã, ão, ãe, õe.

• Desenvolver campo lingüístico e vocabulário.



ESTRATÉGIA

• Apresentação dos encontros vocálicos e das vogais nasaladas em atividades gráficas, pequenos textos, músicas, desenhos, poesias e parlendas.

• Transcrição, cópias, ditados e exercícios.

• Leitura, recorte e colagem.



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua, com a participação e atenção dos alunos. Verificar se o aluno: traça, transcreve, lê, interpreta e emprega corretamente os encontros vocálicos e a vogais nasaladas.



3)- FAMÍLIAS SILÁBICAS

OBJETIVO

1. Identificar, ler e escrever as famílias silábicas corretamente.

2. Automatizar o processo de formação.

3. Empregar corretamente o uso das famílias.

4. Treinar a escrita.

5. Executar os exercícios corretamente.



CONTEÚDO

• Palavras-chave, famílias silábicas.

• Pequenos textos, músicas, poesias, parlendas, histórias e desenhos.

• Ortografia.



ESTRATÉGIA

1. Apresentação das famílias silábicas através de: cartazes, recortes, colagem, desenhos, figuras, histórias, leitura, músicas, jogos, e brincadeiras.

2. Exercícios gráficos orais e escritos, caderno ortográfico, cartilha, ditado, palavras cruzadas e etc.



AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua através de: cópias, treino ortográfico, e exercícios gráficos com correções.

Verificação: se o aluno domina a grafia corretamente e atinge os objetivos propostos; se o aluno identifica, transcreve, copia e lê as famílias silábicas.

Avaliação diária através da atenção, interesse e participação da criança.



MATEMÁTICA

OBJETIVO

1. Desenvolver os conceitos matemáticos, para que possam reconhecer, identificar e executar as atividades propostas.

2. Identificar figuras geométricas.

3. Desenvolver aprendizagem dos números (adição, subtração).

4. Desenvolver raciocínio lógico-matemático.

5. Ampliar os conceitos matemáticos.

6. Realizar as atividades propostas com interesse, atenção, entendimento e compreensão.



CONTEÚDO

• Conceitos matemáticos: grande/pequeno; maior/menor; dentro/fora; mais/menos; em cima/embaixo; na frente/atrás; linha aberta/ linha fechada; etc.

• Conjuntos (unitário, vazio).

• Formas geométricas, numeração, cores, blocos lógicos, sinais (=, #), seqüência numérica e representação gráfica.



ESTRATÉGIA

Apresentar conteúdo de forma dinâmica e estimuladora, através de: cartazes, jogos, brincadeiras, músicas, histórias, atividades gráficas, blocos lógicos, sucatas, recortes, colagens, lousa, caderno quadriculado e etc.



AVALIAÇÃO

Avaliação continua e diária para que o aluno desenvolva: interesse, atenção, raciocínio lógico-matemático e assimilação dos conteúdos.

Avaliar o aluno através de exercícios gráficos através da execução das atividades e correções.



ARTES PLÁSTICAS

OBJETIVO

1. Desenvolver a potencialidade criadora de cada aluno, respeitando suas naturais limitações.

2. Desenvolver habilidades e formas próprias desenhando, pintando, construindo e modelando.

3. Desenvolver o domínio de técnicas, instrumentos e procedimentos expressivos.

4. Desenvolver a habilidade de discriminar cor, forma, dimensão, espaço, harmonia.



CONTEÚDO

• Desenho.

• Pintura.

• Impressão.

• Recorte.

• Alinhavo.

• Tapeçaria.

• Colagem.

• Modelagem.

• Dobradura.

• Montagem.

• Construção.



ESTRATÉGIA

• Atividades gráficas como desenhos, para pintura, recorte e colagem.

• Tinta, pincel, cola, tesoura, papel de diferentes tipos, formas e cores.

• Revista, jornal e sucata.

• Barbante, lã, linhas, madeira, argila, algodão, gesso, garrafa, etc.



AVALIAÇÃO

Avaliação será continua e diária através dos trabalhos e atividades realizados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: criatividade, interesse, espontaneidades, auto-estima, capricho, atenção, curiosidade, raciocínio, cooperação, companheirismo e a motivação.



CIÊNCIAS

OBJETIVO

1. Identificar as diversas partes do corpo e suas funções.

2. Formar bons hábitos de higiene e saúde.

3. Identificar o valor nutritivo e a procedências dos alimentos.

4. Identificar e observar o processo de germinação e crescimento das plantas.

5. Identificar, distinguir e caracterizar os animais.

6. Desenvolver habilidades como: observação, analise, descrição, classificação e medida.

7. Explorar o ambiente em que vive.



CONTEÚDO

• As Partes do Corpo/Higiene e Saúde/Órgãos do sentido.

• Alimento/Culinária.

• Plantas/Horticultura.

• Animais.



ESTRATÉGIA

• Explorar o meio em que estamos.

• Confecção de cartazes, desenhos, figuras, fotos, atividades gráficas.

• Pinturas colagens, recortes.

• Horta.

• Passeios, excursões.

• Atividades com os próprios alunos (jogos e brincadeiras).

• Músicas, histórias, diálogos, conversa dirigida, atividade com sucatas.

• Alimentos (frutas, verduras, legumes).



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua e diária através das atividades e exercícios realizados e executados pelos alunos, com a finalidade de desenvolver: interesse, atenção, cooperação, espontaneidade, aprendizagem, capacidades de observação, análises e etc.



INTEGRAÇÃO SOCIAL

OBJETIVO

1. Adaptar a criança à escola e à vida social.

2. Promover condições de um convívio agradável.

3. Desenvolver atitudes de polidez, respeito e cooperação.

4. Adquirir habilidades sociais.

5. Compreender a necessidade da cooperação de todos os membros da família e da escola, entre si.

6. Desenvolver: atividades e conhecimentos sociais, habilidades de disciplina, independência e habilidades quanto ao trabalho.



CONTEÚDO

• Eu/Família.

• Casa/Comunidade.

• Escola.

• Meios de Transporte/Meios de Comunicação.

• Datas Comemorativas:

• (Alguns exemplos) Carnaval, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, 07 de Setembro, Dia das Crianças, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.



ESTRATÉGIA

Desenhos, cartazes, músicas, jogos, brincadeiras, atividades com sucata, folhas (atividades gráficas), pintura, recortes e colagens.

Festas, bailes, exposição, excursão ou passeios.



AVALIAÇÃO

Avaliação contínua através das atividades e exercícios realizados e propostos aos alunos, no qual se verifica o: interesse, assimilação, compreensão, aprendizagem, comportamento, espontaneidade, capacidade, cooperação, participação e a execução das atividade.



INGLÊS

OBJETIVO

1. Desenvolver algumas noções sobre a língua estrangeira (inglês).

2. Executar as atividades propostas com atenção, compreensão e aprendizagem.

3. Desenvolver a linguagem de palavras, pequenas frases e músicas.



CONTEÚDO

• Cores.

• Números.

• Nomes de animais, alimentos, familiares, objetos, brinquedos, etc.

• Músicas.



ESTRATÉGIA

• Vídeo.

• Cartazes.

• Desenhos.

• Atividades gráficas.

• Pintura, colagem e recorte.



AVALIAÇÃO

Avaliação será feita através dos exercícios e atividades realizadas pelos alunos verificando a aprendizagem, assimilação e compreensão.

Pronúncia e o interesse.



OBJETIVOS SÓCIO- EMOCIONAIS

1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

1. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.

2. Permitir que a criança seja independente.

3. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

4. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

5. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

6. Mante-la ocupada.

7. Levar a criança a participar das atividades de grupo.



Função Social e Educacional da Escola

A escola prepara a criança para conviver com grupos sociais mais amplos que a família; a pré-escola deve fornecer-lhe elementos para conhecer esses grupos sociais, e o fará partindo do próprio universo infantil: a família, a casa, a escola, a comunidade, as profissões, datas comemorativas,etc.



ASPECTOS BIOLÓGICOS

Ao propor atividades que visam à observação e compreensão de determinados aspectos biológicos, a pré-escola está fornecendo à criança condições para desenvolver o raciocínio lógico e incorporar o método contínuo de investigações, essenciais para posterior estudo das ciências naturais.

O trabalho prático poderá se realizar através de alguns itens: as partes do corpo humano, higiene e saúde, alimentação, animais plantas, etc.



CONTEÚDO

Conteúdo é tudo aquilo que é passível de integrar um programa educativo com vistas à formação das novas gerações.É por meio de conteúdos que transmitimos e assimilamos conhecimento, mas é também por meio do conteúdo que praticamos operações cognitivas, desenvolvemos hábitos e habilidades e trabalhamos as atitudes, de maneira que alcançamos os objetivos estabelecidos para o processo educacional.



ORGANIZAÇÃO DOS CONTEÚDOSPORTUGUÊS/PRONTIDÃO/LINGUAGEM:

Os trabalhos com as crianças na área lingüística e viso-motora têm como objetivos:

Ampliar o vocabulário, aquisição de fonemas e comunicação;

Ampliar a linguagem e pensamento desenvolvendo a Expressão Oral através de histórias, músicas, teatros, danças, recitação de versos, poemas ou parlendas, dramatizações, hora da novidade, conversas, recados, jogos e brincadeiras;

Dar iniciação a expressão escrita, noções elementares da gramática e a leitura.

Desenvolver o campo perceptivomotor, a partir do esquema corporal –coordenação motora-ampla ou grossa - até chegar aos dedos –coordenação motora-fina.



MATEMÁTICA:

Será desenvolvido o Campo do raciocínio lógico matemático, no qual a criança se tornará capaz de:

• Perceber, identificar e aplicar os conhecimentos como: posições (frente/atrás), dimensões grande/médio/pequeno),comprimento curto/comprido), altura (alto/baixo), peso (leve/pesado), distância (perto/longe), volume (cheio/vazio), quantidades (muito/pouco), disposição e posição dos objetos (em cima/embaixo/ao lado/entre);

• Manipular livremente o conjunto universo blocos lógicos – para formar seqüências e agrupar em subconjuntos de: cor, forma, tamanho e espessura;

• Identificar e formar conjuntos (vazio, unitário, com muitos e poucos elementos);

• Identificar e apontar os numerais (ex: de 0 a 9), relacionando o número isoladamente;

• Identificar cores primárias e secundárias: vermelho/amarelo: laranja; azul/vermelho: roxo; azul/amarelo: verde; branco/preto: cinza;

• Reconhecer números ordinais e último;

• Identificar e nomear formas geométricas;

• Resolver problemas orais e perceber quantidades diferentes em relação as diversas situações (a mesma quantidade de líquido em recipientes diferentes, por exemplo);

• Identificar meio e inteiro;

• Desenvolver operações matemáticas (adição, subtração)



ARTES PLÁSTICAS:

Nesta área ocorre o desenvolvimento da coordenação e habilidade motoras, aumentado a capacidades de organizar o espaço e o domínio de técnicas. Os exercícios de pintura, por exemplo, farão as crianças conhecerem o valor das cores e de suas combinações.

O professor deve permanecer como observador, orientador e amigo; estimular a criatividade e o capricho que o trabalho merece; incentivar a economia no gasto do material usado, informando que assim durará mais tempo; estar seguro da aula que vai dar.



CIÊNCIAS:

Um programa de ciências na pré-escola deve partir dos interesses das crianças, de suas necessidades imediatas e do meio em que elas vivem. Temos com objetivos gerais: desenvolver as habilidades de observar, descrever, analisar, classificar, medir; explorar o ambiente em que vive; estabelecer relações entre os diversos elementos que compõem seu meio; enriquecer suas experiências; adquirir o gosto pelas pesquisas e descobertas; adquirir hábitos de uma vida sadia em relação à higiene, alimentação, eliminação, recreação.



INTEGRAÇÃO SOCIAL:

A pré-escola tem como principal função aprimorar a sociabilidade das crianças, favorecendo: uma convivência feliz no lar, na escola e na sociedade; a auto-realização, a eficiência no trabalho e o civismo; experiências que promovam o desenvolvimento pessoal; a auto-orientação, a cooperação, a responsabilidade, a amizade, a cortesia, o respeito às outras pessoas, boas maneiras, bons hábitos, etc.



INGLÊS:

Será proporcionado às crianças o contato com outro idioma, através de atividades, músicas, vídeos, cartazes, desenhos e pinturas.



INFORMÁTICA:

Visando facilitar a aprendizagem de conteúdos curriculares o uso do computador no processo pedagógico apresenta dois objetivos básicos: melhorar a qualidade de ensino e familiarizar o jovem com uma nova tecnologia, no qual utilizaremos software educativo e atividades complementares.



EDUCAÇÃO FÍSICA (JUDÔ/BALÉ/JOGOS/BRINCADEIRAS):

As atividades físicas e recreativas visam: o desenvolvimento pessoal: domínio do próprio corpo; o que ele pode realizar com o corpo todo e com cada uma de suas partes; o domínio das coisas que o cercam: como utilizá-las, como se situar no tempo e no espaço; o desenvolvimento das qualidades sociais de cooperação, solidariedade, comunicação, etc.

Essas atividades incluídas no plano curricular da pré-escola, oferecem uma educação integral concorrendo com o desenvolvimento estético, intelectual, moral e cívico.



JOGOS E BRINCADEIRAS:

Algumas sugestões que ajudarão a utilizar os jogos e brincadeiras de forma mais adequada e proveitosa no ensino:

a) Defina, de forma clara e precisa, os objetivos a serem atingidos com a aprendizagem. Os jogos e brincadeiras podem ser usados para adquirir determinados conhecimentos (conceitos, princípios e informações), para praticar certas habilidades cognitivas e para aplicar algumas operações mentais ao conteúdo fixado.

b) Determine os conteúdos que serão abordados ou fixados através da aprendizagem pelo jogo ou pela brincadeira.

c) Formule as regras de forma clara e precisa para que não dêem margem de dúvidas.

d) Especifique os recursos ou materiais que serão usados durante a realização do jogo ou brincadeira, preparando-os com antecedência ou verificando se estão completos e em perfeito estado para serem utilizados.

e) Explique aos alunos, oralmente ou por escrito, as regras do jogo ou brincadeira, transmitindo instruções claras e objetivas, de modo que todos entendam o que é para ser feito ou como proceder.

f) Permita a participação, a motivação e estimulação de todos os integrantes do grupo ou equipe.

Como qualquer aula, os jogos e brincadeiras também devem ser planejados. O trabalho planejado é importante e necessário porque evita a improvisação; ajuda a prever e superar dificuldades e contribui para consecução dos objetivos estabelecidos com economia de tempo e eficiência da ação.


fonte:http://cantinhoinfantiltialane.blogspot.com

MOVIMENTO



LINGUAGEM CORPORAL



OBJETIVOS GERAIS

Participar de atividades corporais estabelecendo relações equilibradas e construtivas com os outros, através de jogos, exercícios, brincadeiras, danças.

Desenvolver a interação com o outro e o grupo, interiorizando e exteriorizando emoções.



CONTEÚDOS

Equilíbrio e coordenação através de brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se, dançar, etc...

Conhecer e explorar materiais variados de forma individual ou coletiva.

Utilização dos recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos jogos e brincadeiras dos quais participam.

ESQUEMA CORPORAL

OBJETIVOS



Conhecer o próprio corpo, suas partes nomeando-as, tomando consciência de que os órgãos do sentido fazem parte de seu corpo, assim como as funções e cuidados e higiene dos mesmos.



CONTEÚDOS



Exploração das diferentes posições do corpo (sentado, deitado, ajoelhado...).

Percepção dos segmentos do corpo.(braço, perna, tronco, cabeça e suas combinações)

Funções vitais do corpo (respirar, correr, pulsar, etc...).

Expressar-se naturalmente por momentos usando o próprio corpo, materiais, objetos, pessoas, coisas da natureza ou fazem imitações.

Desenvolvimento de hábitos salutares, noções de higiene, postura, alimentação, vestuário, ordem e disciplina.

IDENTIDADE E AUTONOMIA

IDENTIDADE



OBJETIVOS

Saber seu nome, dos colegas e da professora.

Interagir com os outros

Ter respeito pelo outro

Expressar-se através da fala, gestos, adquirir auto-estima.

Conhecer e relatar nomes dos membros da sua família. Sentir-se parte de sua família.

Participar de festas com prazer, conhecendo seu significado.

Valorizar e respeitar o lugar onde moram, bem como a comunidade e demais lugares onde convivem.



CONTEÚDOS

Nome, idade, data do seu aniversário.

Nomes das pessoas de sua família, relações de parentesco e funções que elas exercem.

Interação social

família

Auto-estima

festas

Ele e os lugares (minha casa, meu bairro, minha cidade).

Ele com a escola (amigos, professores, funcionários).

AUTONOMIA



OBJETIVOS



Independência e confiança em escolhas e ações.

Conhecer, respeitar e utilizar algumas regras elementares de convívio social.

Valorizar e adquirir atitudes de cooperação e solidariedade.

Valorizar e cuidar dos materiais de uso individual e coletivo.

Adotar hábitos de autocuidado, valorizando atitudes relacionadas á higiene.

Apreciar os diferentes tipos de alimentos.

Servir-se e alimentar-se com segurança, prazer e independência.





CONTEÚDOS



regras

cooperação

Espaço/ escolha

Hábitos de higiene

alimentação

MATEMÁTICA

Números e sistema de numeração

Grandezas e medidas

estatística

Jogos e brincadeiras





OBJETIVOS GERAIS



Conhecer os números verbalizá-los e escrevê-los espontaneamente.

Quantificar elementos.

Classificar por atributos solicitados.

Realizar seqüência simples.

Fazer correspondência.

Identificar alguns sólidos e formas geométricas.

Localizar-se e orientar-se no espaço.

Utilização da contagem oral, de noções de quantidade, de tempo e de espaço em jogos, brincadeiras e músicas.

Exploração de diferentes procedimentos para comparar grandezas (grande, pequeno, alto, baixo).

Reconhecer entre semelhança e diferença (cor, tamanho).

Marcação do tempo por meio de calendário.

Exploração e identificação de alguns sólidos e formas geométricas.

Noções de massa (leve/ pesado).

Noções de direção e sentido (para frente/ para trás, para cima/ para baixo).

LÍNGUA PORTUGUESA

Linguagem oral

Escrita da linguagem

Linguagem escrita



OBJETIVOS GERAIS



Usar a linguagem oral para conversar, comunicar-se, relatar suas vivências e expressar desejos, vontades, necessidades e sentimentos nas diversas situações de interação presente no cotidiano.

Participar de situações de leitura de textos diversos.

Conhecer a função social da escrita, utilizar a escrita espontânea como forma de expressão.

Diferenciar textos falados e texto escrito.

Escrever seu primeiro nome.



CONTEÚDOS

Recados, bilhetes, relatos, negociação, conversação, sinais extra-linguístico (gestos, entonação, expressões faciais), textos orais diversos, conto, reconto, canção, poesia, adivinhas, nome próprio, explicações verbais de jogos, reportagens, notícias.

Contato com letras, escrita espontânea (pseudo-escrita), produção e leitura de textos coletivos, posição e organização do caderno.

Texto falado, texto escrito, reescrita coletiva de textos.

Nome.

Rótulo e embalagens.

Correspondência.

Receitas.

Jornal.

parlendas/ poesias e adivinhas.

textos literários

MÚSICA

Linguagem sonora



OBJETIVO GERAL



Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo



CONTEÚDO



Exploração, expressão e produção do silêncio e de som com a voz, o corpo e materiais sonoros diversos.

Interpretação de músicas e canções diversas.

Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos

ARTES VISUAIS

ARTES



OBJETIVO GERAL



Ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas e expressão artística.

Utilizar diversos materias gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.

Interessar-se pelas próprias produções pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas.



Fonte:http://cantinhoinfantiltialane.blogspot.com




PLANEJAMENTO MATERNAL I E II.





Planejamento Maternal I e II


Maternal I

OBJETIVO

1. Desenvolver os movimentos amplos: saltar, pular, andar...

2. Desenvolver os movimentos finos que envolvam as mãos, adquirindo controle e expressão gráfica com a progressão de exercícios que irão auxiliar no futuro aprendizado da escrita e da leitura.

3. Desenvolver estímulos sonoros e auditivos através de operações concretas.

4. Ampliar vocabulário e linguagem como meio de comunicação, desenvolvendo a imaginação, criatividade, organização de idéias.

5. Identificação do nome próprio.

6. Identificação das letras do nome próprio.

7. Identificação das vogais.

CONTEÚDO

1. Coordenação Motora Ampla.

2. Coordenação Motora Fina.

3. Discriminação Auditiva e Visual.

4. Expressão Oral (histórias, contos, músicas, teatro, etc).

5. Estudo do nome próprio.

6. Estudo das letras do nome próprio.

7. Apresentação das vogais.

ESTRATÉGIA

1. Através de jogos, brincadeiras e atividades lúdicas envolvendo operações concretas.

2. Através de materiais pedagógicos, sucatas, brincadeiras, jogos e atividades visomanuais concretas (pinturas, desenhos, etc).

3. Utilização de recursos audiovisuais como: músicas, histórias, parlendas vídeo, CD, figuras, rótulos, livros, portadores de textos, etc.

4. Leituras, interpretações, cantos, conversas, brincadeiras, jogos, recursos audiovisuais, livros, materiais pedagógicos, etc.

5. Apresentação de crachás, fichas, cartazes, desenhos, jogos e brincadeiras, etc.

6. Fichas cartazes, desenhos, materiais pedagógicos, jogos e brincadeiras.

7. Materiais pedagógicos, brincadeiras, atividades visomanuais concretas, etc.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no desenvolvimento da atenção, interesse assimilação e aprendizagem.

O instrumento de avaliação será uma ficha de avaliação, que entregaremos aos pais durante as Reuniões.

OBSERVAÇÕES:



CARACTERÍSTICAS: Aproximadamente 2 a 3 anos.

• Egocentrismo.

• Descobertas: tato, movimentos, formas, pessoas, texturas, reprodução de sons, andar, comunicação, etc.

• Coordenação Motora: abrir, fechar, empilhar, encaixar, puxar, empurrar, etc.

• Fantasia, Invenção e Representação (imitação de situações conhecidas: escolinha, casinha).

• Criatividade

TIPOS DE BRINCADEIRAS:

• Brincadeiras referentes à educação sensório-motora (sentir/executar).

• Exploração, canto, perguntas e respostas, esconder.

• Brincadeiras sem regras.

• Brincadeiras com poucas regras simples.

• Utilização das formas básicas de movimentos (andar, correr, saltar, rolar, etc).

• Estimulação e motivação.

• Atividades lúdicas.

MATEMÁTICA

OBJETIVO

1. Introduzir o raciocínio lógico, através de suas estruturas.

2. Desenvolver a lateralidade através de estímulos, motivações e atividades de coordenação.

3. Desenvolver a capacidade de situar cronologicamente os fatos para organizar seu tempo e suas ações, orientando-se também no espaço.

4. Desenvolver coordenação motora através de atividades lúdicas, concretas, pedagógicas e visomanuais.

5. Reconhecer e discriminar estímulos visuais, interpretando-os e associando-os.

6. Reproduzir seqüências e seriações, ex: ordenar objetos do mais alto para o mais baixo.

7. Reconhecer e discriminar numerais. Desenvolver contagem de 1 até 10.

CONTEÚDO

1. Estruturas lógicas: discriminação – comparação – identificação – cor – forma – tamanho – conjuntos – quantidade.

2. Conceito de lateralidade.

3. Orientação Temporal Espacial: antes/depois, atrás/na frente/no meio/entre, aberto/fechado, na frente/de costas, em cima/embaixo, em pé/deitado/sentado, longe/perto, direita/esquerda.

4. Coordenação Motora.

5. discriminação audiovisual.

6. Seqüência e seriação.

7. Numeração:

• Números de 1 à 5

• Contagem de 1 à 10

ESTRATÉGIA

1. Utilização de materiais pedagógicos, sucatas, figuras, livros, jogos, brincadeiras, ...

2. Brincadeiras lúdicas, materiais pedagógicos, atividades audiovisuais.

3. Através do uso de materiais concretos, materiais pedagógicos, jogos e brincadeiras, registro de atividades.

4. Jogos, brincadeiras, músicas, atividades lúdicas, materiais pedagógicos, registro de atividades.

5. Recursos Audiovisuais: rádio, CD, TV, vídeo, músicas, histórias, cartazes, fichas.

6. Cartazes, fichas, jogos, brincadeiras, materiais pedagógicos, atividades lúdicas e de registro.

7. Materiais pedagógicos e concretos, jogos, brincadeiras, cartazes, fichas, desenhos, etc.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança, no desempenho de suas atividades, no desenvolvimento da atenção, interesse assimilação e aprendizagem.

O instrumento de avaliação será uma ficha de avaliação, que entregaremos aos pais durante as Reuniões.

OBSERVAÇÕES:

Devemos desenvolver na criança a capacidade de pensar logicamente.

Trabalhar problemas relacionados ao seu cotidiano para melhor entendimento do meio em que vive.

A Matemática pode ser considerada uma linguagem simbólica que expressa relações espaciais e de quantidade. Sua função é pois, desenvolver o “pensamento”.

A medida que brinca com formas, com quebra-cabeças e com caixas que cabem dentro de caixas, a criança adquire uma noção do conceito pré-simbólico de tamanho, número e forma. Ao enfiar contas em um barbante ou colar figuras, adquire a noção de seqüência e de ordem. E quando utiliza as palavras “não cabe” e “acabou”, vai adquirindo a noção de quantidade.

“Esse trabalho deve se muito concreto, baseado no manuseio de materiais. Isso permito que as crianças se famialiarizem mais facilmente com os conceitos matemáticos.”

ESTUDOS SOCIAIS

OBJETIVO

1. Estimular o conhecimento da história Brasileira, através das Datas Comemorativas.

2. Desenvolver noção de hoje, ontem e amanhã, bem com o dia, a noite a relação com espaço/tempo.

3. Identificar, nomear e reconhecer a família e sua importância.

4. Estimulação do meio ambiente físico.

CONTEÚDO

1. Datas Comemorativas: Carnaval, Outono, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, Folclore, Independência, Inverno, Dia dos Animais, Dia das Crianças, Dia dos Professores, Proclamação da República, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.

2. Calendário (relação espaço tempo).

3. Família.

4. Escola (ambiente/colegas).

ESTRATÉGIA

1. Contar histórias sobre o significado das Datas Comemorativas e a produção de lembrancinhas que traduzam a data em questão.

2. Produção de Calendário e exercício do mesmo ao iniciar a aula (manhã e tarde), e aniversários das crianças.

3. Nomeação, explicação e cartazes, através de estimulação de situação problema que envolva o conceito família.

4. Jogos e brincadeiras que explorem o ambiente e colegas.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

CIÊNCIAS

OBJETIVO

1. Desenvolver capacidade de auto-higiene corporal.

2. Identificar, reconhecer, localizar e nomear partes do próprio corpo.

3. Estimulação dos 5 sentidos.

4. Estimular o cuidado com a natureza.

5. Nomear e reconhecer diferentes animais.

6. Discriminação entre liso e áspero.

7. Apresentação de diferentes alimentos, diferenciando de doce e salgados.

CONTEÚDO

1. Higiene Corporal (mãos, dentes, uso do banheiro).

2. Esquema corporal.

3. Órgãos dos sentido: olhos (discriminação visual), ouvidos (discriminação auditiva), tato, olfato e paladar.

4. Horticultura e jardinagem.

5. Animais.

6. Texturas (liso e áspero).

7. Alimentos.

ESTRATÉGIA

1. Incentivar o lavar as mãos, escovar os dentes e ir ao banheiro sozinho, sempre que necessário, através de músicas e histórias que despertem o interesse das crianças.

2. Utilizando quebra-cabeça, músicas, figuras, bonecas e nomeação que desenvolvam o reconhecimento do corpo humano.

3. Exercícios, atividades e jogos que desenvolvam a visão, audição, tato e gustação.

4. Plantação de mudas e flores.

5. Através de figuras, desenhos, gestos musicais e histórias.

6. Através de objetos que mostrem tais diferenças, estimulando jogos e atividades.

7. Apresentação de alimentos.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

ARTES

OBJETIVO

1. Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.

2. Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.

3. Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.

CONTEÚDO

1. Artes: desenho livre e pintura.

2. Sucata.

3. Argila e massinha.

ESTRATÉGIA

1. Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.

2. Material de sucata e criatividade do professor.

3. Apresentação de argila e massinha.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS

1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.

3. Permitir que a criança seja independente.

4. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

5. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

6. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

7. Mante-la ocupada.

8. Levar a criança a participar das atividades de grupo.





MATERNAL 2

LINGUAGEM ORAL

OBJETIVO

1. Desenvolver na criança o conceito de eu em relação ao seu nome, idade e em relação aos pais (família) e colegas.

2. Desenvolver coordenação motora grossa (livre).

3. Despertar na criança o interesse por estímulos sonoros, para que ela consiga perceber, identificar e localizar sons forte e fraco.

4. Desenvolver a capacidade da criança de identificar diferentes objetos e movimentar-se no espaço com facilidade.

5. Incentivar e permitir a fala da criança em toda as atividades possíveis, corrigindo e ampliando seu vocabulário, utilizando também as músicas.

6. Estimular o vocabulário através de contos e histórias pequenas que despertem a fantasia da criança.

7. Incentivar a memorização de pequenas músicas e gestos.

8. Identificar e reconhecer as vogais.

9. Identificar o nome próprio e as letras do nome.

CONTEÚDO

1. Eu (nome, idade, pais e colegas).

2. Coordenação motora.

3. Discriminação auditiva.

4. Discriminação visual.

5. Expressão oral (pronúncias, relatos de acontecimentos, músicas).

6. Histórias e contos.

7. Memorização.

8. Vogais.

9. Nome próprio e letras do nome próprio.

ESTRATÉGIA

1. Através de músicas, jogos com bola pronunciando o nome e estimulação oral.

2. Utilização de recortes, colagem, traçado de linhas em folha e no chão, incentivando jogos e brincadeiras.

3. Utilização de instrumentos sonoros, músicas, batidas de palmas e pés e sons produzidos pela boca.

4. Utilização de sucatas, jogos e materiais pedagógicos com exploração dos objetos do ambiente interno e externo.

5. Utilização de leitura de histórias curtas, músicas e conversas diárias com a criança sobre sua rotina, dando atenção as perguntas e respondendo-as sempre de acordo com sua maturidade emocional.

6. Histórias curtas com gestos, estimulando o interesse e fantasia da criança.

7. Repetição de músicas, gestos e histórias curtas.

8. Através de materiais pedagógicos, fichas, desenhos, cartazes, etc.

9. Fichas, crachás, cartazes, materiais concretos e pedagógicos, jogos e brincadeiras, etc.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

MATEMÁTICA

OBJETIVO

1. Iniciar a aprendizagem de conceitos de longe, perto, dentro, fora, em cima, em baixo, atrás, na frente, ao lado, dentro, fora, cheio, vazio, etc.

2. Discriminar na criança o sentido de ontem hoje e amanhã.

3. Estimular o uso do raciocínio da criança.

4. Classificação e nomeação de objetos pelas cores primárias (azul, amarelo e vermelho), formas (círculo, triângulo e Quadrado), tamanho (grande e pequeno) e quantidade (1 a 9).

5. Nomear e identificar iguais e diferentes.

CONTEÚDO

1. Conceitos de lateralidade: todo, dentro/fora, grande/pequeno, cheio/vazio, grosso/fino, muito/pouco.

2. Organização espacial: antes/durante e depois, hoje/ontem/amanhã.

3. Jogos de raciocínio (quebra-cabeça e jogos de encaixe).

4. Classificar e nomear objetos pela cor, forma (círculo, triângulo e quadrado), tamanho e quantidade.

5. Nomear iguais e diferentes.

ESTRATÉGIA

1. Através de jogos, músicas e atividades que incentivam o aprendizado da criança como movimento da esquerda para a direita, jogos de dentro para fora, etc. Incentivar e explorar o meio ambiente.

2. Utilização do calendário e estimulação de perguntas e respostas que distingam o dia e a noite, o ontem, o hoje e amanhã.

3. Através de jogos como quebra cabeça, encaixes, de formas e situações problemas que incentivem a criança a pensar, não respondendo tudo para criança, sem que ela tente responder sozinha.

4. Através de objetos, sucatas e material dourado que tenham estas características, utilizando-os em jogos, como procurar cor e forma.

5. Através de jogos, sucatas e objetos que permitam a identificação e classificação de iguais e diferentes.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

ESTUDOS SOCIAIS

OBJETIVO

1. Estimular o conhecimento da história Brasileira, através das Datas Comemorativas.

2. Desenvolver noção de hoje, ontem e amanhã, bem com o dia, a noite a relação com espaço/tempo.

3. Identificar, nomear e reconhecer a família e sua importância.

4. Estimulação do meio ambiente físico.

CONTEÚDO

1. Datas Comemorativas: Carnaval, Outono, Páscoa, Dia do Índio, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, Folclore, Independência, Inverno, Dia dos Animais, Dia das Crianças, Dia dos Professores, Proclamação da República, Primavera, Dia da Árvore, Natal e outros.

2. Calendário (relação espaço tempo).

3. Família.

4. Escola (ambiente/colegas).

ESTRATÉGIA

1. Contar histórias sobre o significado das Datas Comemorativas e a produção de lembrancinhas que traduzam a data em questão.

2. Produção de Calendário e exercício do mesmo ao iniciar a aula (manhã e tarde), e aniversários das crianças.

3. Nomeação, explicação e cartazes, através de estimulação de situação problema que envolva o conceito família.

4. Jogos e brincadeiras que explorem o ambiente e colegas.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

CIÊNCIAS

OBJETIVO

1. Desenvolver capacidade de auto-higiene corporal.

2. Identificar, reconhecer, localizar e nomear partes do próprio corpo.

3. Estimulação dos 5 sentidos.

4. Estimular o cuidado com a natureza.

5. Nomear e reconhecer diferentes animais.

6. Discriminação entre liso e áspero.

7. Apresentação de diferentes alimentos, diferenciando de doce e salgados.

CONTEÚDO

1. Higiene Corporal (mãos, dentes, uso do banheiro).

2. Esquema corporal.

3. Órgãos dos sentido: olhos (discriminação visual), ouvidos (discriminação auditiva), tato, olfato e paladar.

4. Horticultura e jardinagem.

5. Animais.

6. Texturas (liso e áspero).

7. Alimentos.

ESTRATÉGIA

1. Incentivar o lavar as mãos, escovar os dentes e ir ao banheiro sozinho, sempre que necessário, através de músicas e histórias que despertem o interesse das crianças.

2. Utilizando quebra-cabeça, músicas, figuras, bonecas e nomeação que desenvolvam o reconhecimento do corpo humano.

3. Exercícios, atividades e jogos que desenvolvam a visão, audição, tato e gustação.

4. Plantação de mudas e flores.

5. Através de figuras, desenhos, gestos musicais e histórias.

6. Através de objetos que mostrem tais diferenças, estimulando jogos e atividades.

7. Apresentação de alimentos.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

ARTES

OBJETIVO

1. Incentivar e desenvolver o hábito de desenho, estimulando assim a fantasia da criança.

2. Estimulação de confecção de brinquedos através da sucata.

3. Estimular a coordenação da criança e a criatividade com o uso da argila e massinha.

CONTEÚDO

1. Artes: desenho livre e pintura.

2. Sucata.

3. Argila e massinha.

ESTRATÉGIA

1. Utilização de lápis, pincéis, cola com muito incentivo, estimulando a criança através de elogios.

2. Material de sucata e criatividade do professor.

3. Apresentação de argila e massinha.

AVALIAÇÃO

Avaliação será contínua, através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, no relacionamento com os colegas e com a professora.

O instrumento de avaliação é uma ficha de observações que será entregue aos pais todo Bimestre.

OBJETIVOS SÓCIO-EMOCIONAIS

1. Desenvolve hábitos de asseio: pedir para ir ao banheiro, lavar as mãos, limpar o nariz, etc.

2. Habitua-lo a usar os clichês sociais. Exemplo: Por favor, muito obrigado, com licença, etc.

3. Permitir que a criança seja independente.

4. Deixa-la explorar ao máximo os objetos e brinquedos.

5. Levar a criança a brincar com os outros do grupo.

6. Fazer com que a criança não fixe em um único colega.

7. Mante-la ocupada.

8. Levar a criança a participar das atividades de grupo.
http://blog-artssi.blogspot.com.br/2011/01/sugestoes-para-preenchimento-do.html

DICAS E SUGESTÕES



PARA QUEM ESTÁ INICIANDO NA EDUCAÇÃO INFANTIL!
Todas as atividades desenvolvidas na Educação Infantil devem ser trabalhadas a partir da exploração concreta dos objetos, pois, as crianças desta faixa etária ainda não possuem maturação para compreender e apreender conceitos abstratos. Há de se observar também, que nessa fase elas são dispersas, desconcentradas e sem reversibilidade de pensamento o que requer que o planejamento do professor seja mutável em qualquer ponto e atrativo.As atividades desenvolvidas devem levar em conta os aspectos de desenvolvimento da criança, ou seja, contemplar:ASPECTO COGNITIVO - referente ao desenvolvimento do raciocínio, da inteligência, aqui são necessário desenvolver:Conhecimento Físico: cor, forma, peso, textura, som, temperatura, odor, sabor, são as características dos objetos.Conhecimento Lógico-matemático: estruturação do conceito de tempo e espaço, aquisição de conservação de quantidades contínuas e descontínuas, classificação, seriação e conservação.Conhecimento Social: aquisição sobre a vida em sociedade, costumes tradições, regras, datas comemorativas,etc.Função Simbólica:: ampliação e generalização da imitação representativa, jogos simbólicos, imagem mental, expressões artísticas, etc.
ASPECTO AFETIVO: desenvolvimento da iniciativa, da independência, da curiosidade, da motivação, etc.ASPECTO SOCIAL: desenvolvimento das interações sociais, conhecimento das normas de conduta, direitos e deveres, desenvolvimento de valores éticos e morais.ASPECTO PERCEPTIVO MOTOR: desenvolvimento e coordenação dos pequenos e grandes músculos.OBSERVAÇÃO: O s aspectos afetivo e social devem acontecer concomitantemente aos aspecto cognitivo e perceptivo motor, onde emoções e normas de conduta andem de mãos dadas.m bom planejamento deve contemplar estes aspectos e a partir daí, surgirão mil idéias para projetos que estimulem o desenvolvimento da criança, sem deixar de lado o lúdico, o prazeroso.

ASPECTO COGNITIVOConhecimento Físico: - Aquisição das propriedades dos objetos:1) Cor: Identificação das cores primárias através de brincadeiras e comparações, manipulação de tintas e da sua transformação em cores secundárias;2) Formas: identificação das formas geométricas em diversos objetos de uso social e escolar através de brincadeiras, da manipulação dos objetos e de atividades direcionadas na pintura e recorte e colagem;3) Textura: através do manuseio de objetos e de diversos tipos de papéis e tecidos, reconhecer as diferentes texturas, tais como liso, áspero, peludo, enrugado, macio, duro, ondulado, etc e a partir delas realizar diferentes expressões artísticas de desenho e pintura. Ex: desenho sobre lixa, desenho sobre camurça, tecido, microondulado, etc. Uma idéia linda é um livro de textura. sentir as diferentes texturas dos alimentos, crus, cozidos, assados, líquidos, pastosos, sólidos, etc;4) Temperatura, Sabor e Odor: a partir das ações sociais e escolares diferenciar as temperaturas fria, gelada, morna e quente, sabor amargo, doce, salgado e odores diversos;5) Som: Estimulação auditiva através dos diferentes sons de instrumentos da bandinha, de objetos em movimento e em queda, apreciação de categorias musicais, melódicas e vocais, observação dos diferentes animais e os sons emitidos por eles, tais como, mugido, rugido, grunhido, latido, etc;6) Peso: através da manipulação de diversos objetos, identificar e estabelecer relações entre eles tais como, leve, tão leve quanto, pesado, tão pesado quanto, mais pesado que;7) Tamanho: estabelecer as relações entre os objetos, tais como, maior, menor, mediano, alto, baixo, médio, etc;OBSERVAÇÃO: Sempre trabalhar no concreto para depois fazer o registro no papel, pois, assim a apreensão será significativa e fácil para a criança
Conhecimento Lógico matemático: estruturação do conhecimento e conceituação de tempo e espaço, seriação, classificação e conservação. 1) Função social do número em horas, calendário, altura, peso, calçados e roupas, casas, etc, mostrando que o número pode ser utilizado com outros objetivos além da contagem;2) Horas/momentos: diferenciação entre o dia e noite, o agora e o depois, etc;3) Classificação e seriação através de conhecimentos vivenciados em sala de aula, como identificação da rotina, contagem na chamada(quantos somos? quantos vieram? quantos faltaram? mais meninas ou meninos? quem é o primeiro ou último da fila?) estudo do calendário, fazer coleções, estabelecer comparações de igualdade, semelhança e diferenças;4) Aquisição de conservação das quantidades contínuas e descontínuas (massinha, areia e água).OBSERVAÇÃO: Aqui podem surgir lindos trabalhos, tais como a criação de álbuns de recortes de animais, alimentos, brinquedos, botões, etc, bem como ordenar histórias, palitos de diferentes tamanhos, seqüência de cores em ordem linear direta e inversa, etc.

CONHECIMENTO SOCIAL: - Adquirir conceitos sobre a sua pessoa _ EU _ e estabelecer relações de igualdade e diferenças com as outras pessoas com as quais a criança convive na escola e na sociedade (OUTRO), família, etc. Letras, números, formas e cores e datas comemorativas também são conhecimentos sociais, pois, são nomenclaturas criadas e utilizadas pelos homens.- Identificação da criança _ EU - como parte do MEIO e a importância de preservá-lo como garantia de sobrevivência;1)reconhecer o corpo como um todo e em partes (corpo humano), diferenciar os corpos existentes na sala ressaltando o respeito as diferenças (altura, peso, raça, necessidades especiais, etc) através de desenhos impressos, recortes, quebra-cabeças, marcas do tempo, brincadeiras e músicas;2)reconhecimento das letras a partir do seu nome e do nome dos companheiros de classe e membros de sua família, músicas, pesquisas em sala de aula e em casa;3)reconhecer os membros de sua família, reconhecer as diferentes famílias, através de livros, pesquisas, entrevistas;4)reconhecimento da sociedade com a qual convive: escola, bairro e cidade, profissões, meios de transportes e comunicação;5)reconhecimento dos números através da sua função social (idade, peso, altura, calçados e roupas, calendário, contagem de alunos, etc), música, brincadeiras, encaixes de pinos, bingos, boliches, etc;6) datas comemorativas: através de conversas na roda, pesquisas em sala de aula e em casa desenvolver atividades de desenho, recorte e colagem, faz-de-conta, sucatas, relacionados às principais datas comemorativas e ou as datas estabelecidas pelo PPP da escola;
7)reconhecimento dos elementos ar, terra, água e fogo e a partir daí desenvolver atividades que ressalte a importância, a necessidade de preservação, a funcionalidade, a economia e os meios necessários para a utilização desses recursos sem esgotá-los. Exemplo de atividades legais: ciclo da água, experimento com feijão ou girassol, plantio de mudas e sementes em hortas ou floreiras, etc;segue...8)RECICLAGEM: transformação do lixo em luxo, o que podemos fazer para garantirmos o desperdício e aumentarmos o seu aproveitamento;9)Alimentação: elevar a importância de termos uma boa alimentação, a finalidade de cada alimento, suas características, a mastigação, a experimentação dentro da sala de aula, a transformação de alimentos sólidos em líquidos e vice-versa.OBSERVAÇÃO: O conhecimento social é uma rica fonte para projetos

ASPECTO SOCIAL E ASPECTO AFETIVO: Os dois aspectos caminham juntos com os demais, logo, todas as atividades, brincadeiras e conversas levarão em conta os valores e virtudes com base na RECIPROCIDADE!ASPECTO PERCEPTIVO-MOTOR: Estão nas dramatizações, danças, brincadeiras, teatro de fantoches, alinhavos, monta – tudo, Lego, pinos de encaixes, desenhos, escritas, etc, que visam o desenvolvimento dos pequenos e grandes músculos. Com base nesses princípios fica mais fácil a construção de um planejamento, de um projeto. Para isto basta deixar aflorar a criatividade.


Sugestão de avaliação




Sugestão de avaliação
Durante o segundo e terceiro trimestre _________ (nome da criança), apresentou um desenvolvimento cognitivo e sócio-afetivo significativo. Já aceita sem intervenções trabalhar em grupo e dividir o material de uso coletivo com os colegas, bem como continua frequente e assíduo as aulas. Já se expressa com mais desenvoltura durante a roda, expõe seu ponto de vista e relata suas experiências. Continua respeitando os combinados e regras da turma. Na oralidade expõe seu ponto de vista não mais com tanta paciência para esperar sua vez de falar e ouvir os colegas. Durante o momento da leitura mostra-se envolvido e participativo evidenciando opiniões coerentes e pertinentes quanto à discussão da leitura, além de sempre trazer livros de contos de casa para socializar com a turma. Está mais participativo durante o faz de conta.


No que concerne a linguagem escrita consegue escrever seu nome e sobrenome sem o auxilio do crachá, utiliza algumas letras cursivas e já conhece todas as letras do alfabeto. Para cada fonema, usa uma letra para representá-lo, atribui valor sonoro a letra- características que evidenciam a hipótese silábica de escrita.

Na linguagem matemática continua realizando representações dos números de maneira convencional, ou seja, não escreve o número espelhado, ou confunde com letras; utiliza estratégias de cálculo mental. Identifica os números até 15 fazendo relação número e quantidade. Quando trabalhamos com o tema: As cobras foi percebido interação e participação durante as discussões e atividades desenvolvidas. Essa pesquisa possibilitou o desenvolvimento de habilidades, tais como: confecção de dobraduras, leituras, realização de pesquisa, releituras de histórias, desenvolvimento de brincadeiras, trabalhos de arte, construção de textos coletivos e listas de palavras. Identifica as partes do corpo e suas funções, os membros de sua família; demonstra atitudes de autonomia quando mantêm o ambiente da sala de aula organizado, realização de atividades de sala e na organização do seu material. Não apresenta tantas dificuldades quanto à contagem cronológica de tempo, já não confunde o ontem com o hoje e nem os dias da semana.

O seu desenho avançou encontrando-se na transição do realismo gorado para a fase do realismo intelectual, uma vez que está bem detalhista, por exemplo: quando desenha uma pessoa tem a preocupação de está colocando as partes do corpo como cabeça, tronco e membros, a quantidade de dedos da mão, cabelo e etc; utiliza as cores com bastante coerência preenchendo os espaços e adequando as cores ao que foi desenhado, quando incentivado a fazer releituras de obras é cuidadoso e busca trazer elementos no seu trabalho da obra original. Durante o vídeo ele é bastante concentrado, nos momentos com os materiais de psicomotricidade fica bastante envolvido. No parque corre, pula e brinca na caixa de areia e está sempre interagindo com os colegas da sala.

Sua família participa ativamente de seu cotidiano no CMEI (escola). Estão sempre presentes nas reuniões de pais e se interessam em saber sobre seu comportamento, atividades realizadas e vivências durante as aulas. Apreciam e dão muita importância aos trabalhos produzidos pela criança como nas exposições que são feitas pela escola e apresentações. Além desses pontos é preciso no âmbito escolar promover atividades que permitam o aluno avançar no sentido da escrita e da leitura.

 
Artes Plásticas
O trabalho com artes plásticas na Educação Infantil visa ampliar o repertório de imagens das crianças, estimulando a capacidade destas de realizar a apreciação artística e de leitura dos diversos tipos de artes plásticas (escultura, pintura, instalações). Para tal, o professor pode pesquisar e trazer, para a sala de aula, diversas técnicas e materiais, a fim de que as crianças possam experimentá-las, interagindo com elas a seu modo, e produzindo as suas próprias obras, expressando-se através das artes plásticas. Assim, elas aumentarão suas possibilidades de comunicação e compreensão acerca das artes plásticas. Também poderão conhecer obras e histórias de artistas (dos mais diversos estilos, países e momentos históricos), apreciando-as e emitindo suas idéias sobre estas produções, estimulando o senso estético e crítico.
Hora da História
Podemos dizer que o ato de contar histórias para as crianças está presente em todas as culturas, letradas ou não letradas, desde os primórdios do homem. As crinças adoram ouvi-las, e os adultos podem descobrir o enorme prazer de contá-las. Na Educação Infantil, enquanto a criança ainda não é capaz de ler sozinha, o professor pode ler para ela. Quando já é capaz de ler com autonomia, a criança não perde o interesse de ouvir histórias contadas pelo adulto; mas pode descobrir o prazer de contá-las aos colegas. Enfim, a “Hora da História” é uma momento valioso para a educação integral (de ouvir, de pensar, de sonhar) e para a alfabetização, mostrando a função social da escrita. O professor pode organizar este momento de diversas maneiras: no início ou fim da aula; incrementando com músicas, fantasias, pinturas; organizando uma pequena biblioteca na sala; fazendo empréstimos de livros para que as crianças leiam em casa, enfim, há uma infinidade de possibilidades.
Hora da Brincadeira
Brincar é a linguagem natural da criança, e mais importante delas. Em todas as culturas e momentos históricos as crianças brincam (mesmo contra a vontade dos adultos). Todos os mamíferos, por serem os animais no topo da escala evolutiva, brincam, demonstrando a sua inteligência. Entretanto, há instituições de Educação Infantil onde o brincar é visto como um “mal necessário”, oferecido apenas por que as crianças insistem em fazê-lo, ou utilizado como “tapa-buraco”, para que o professor tenha tempo de descansar ou arrumar a sala de aula. Acreditamos que a brincadeira é uma atividade essencial na Educação Infantil, onde a criança pode expressar suas idéias, sentimentos e conflitos, mostrando ao educador e aos seus colegas como é o seu mundo, o seu dia-a-dia. A brincadeira é, para a criança, a mais valiosa oportunidade de aprender a conviver com pessoas muito diferentes entre si; de compartilhar idéias, regras, objetos e brinquedos, superando progressivamente o seu egocentrismo característico; de solucionar os conflitos que surgem, tornando-se autônoma; de experimentar papéis, desenvolvendo as bases da sua personalidade. Cabe ao professor fomentar as brincadeiras, que podem ser de diversos tipos. Ele pode fornecer espelhos, pinturas de rosto, fantasias, máscaras e sucatas para os brinquedos de faz-de-conta: casinha, médico, escolinha, polícia-e-ladrão, etc. Pode pesquisar, propor e resgatar jogos de regra e jogos tradicionais: queimada, amarelinha, futebol, pique-pega, etc. Pode confeccionar vários brinquedos tradicionais com as crianças, ensinando a reciclar o que seria lixo, e despertando o prazer de confeccionar o próprio brinquedo: bola de meia, peteca, pião, carrinhos, fantoches, bonecas, etc. Pode organizar, na sala de aula, um cantinho dos brinquedos, uma “casinha” além de, é claro, realizar diversas brincadeiras fora da sala de aula. Além disso, as brincadeiras podem despertar projetos: pesquisar brinquedos antigos, fazer uma Olimpíada na escola, ou uma Copa do Mundo, etc.
Hora do Lanche/Higiene
Devemos lembrar que comer não é apenas uma necessidade do organismo, mas também uma necessidade psicológica e social. Na Bíblia, por exemplo, encontramos dezenas de situações em que Jesus compartilhava refeições com seus discípulos, fato que certamente marcou nossa cultura. Em qualquer cultura os adultos (e as crianças) gostam de realizar comemorações e festividades marcadas pela comensalidade (comer junto). Por isso, a hora do lanche na Educação Infantil não deve atender apenas às necessidades nutricionais das crianças, mas também às psicológicas e sociais: de sentir prazer e alegria durante uma refeição; de partilhar e trocar alimentos entre colegas; de aprender a preparar e cuidar do alimento com independência; de adquirir hábitos de higiene que preservam a boa saúde. Por isto, a hora do lanche também deve ser planejada pelo professor. A disposição dos móveis deve facilitar as conversas entre as crinças; devem haver lixeiras e material de limpeza por perto para que as crianças possam participar da higiene do local onde será desfrutado o lanche (antes e depois dele ocorrer); deve haver uma cesta onde as crianças possam depositar o lanche que desejam trocar entre si (estimulando a socialização e, ao mesmo tempo, o cuidado com a higiene). Além disso, é importante que o professor demonstre e proporcione às crianças hábitos saudáveis de higiene antes e depois do lanche (lavar as mãos, escovar os dentes, etc.). O lanche também pode fazer parte dos projetos desenvolvidos pela turma: pesquisar os alimentos ais saudáveis, plantar uma horta, fazer atividades de culinária, produzir um livro de receitas, fazer compras no mercado para adquirir os ingredientes de uma receita, dentre outras, são atividades às quais o professor pode dar uma organização pedagógica que possibilite às crinças participar ativamente, e elaborar diversos projetos junto com a turma.
Atividades Físicas/Parque
Fanny Abramovich lembra-nos, com muito humor, o papel usualmente atribuído ao movimento nas nossas escolas: “Não se concebe que o aluno sequer possua um corpo. Em movimento permanente. Que encontre respostas através de seus deslocamentos. Um corpo que é fonte e ponte de aprendizagens, de reconhecimentos, de constatações, de saber, de prazer. Basicamente, possui cabeça (para entender o que é dito) e mão (para anotar o que é dito). Portanto, pode e deve ficar sentado o tempo todo da aula. Breves estiramentos, andadelas rápidas, podem ser efetuadas nos intervalos. No mais, os braços são úteis para segurar livros/cadernos/papéis e pés e pernas se satisfazem ao ser selecionados para levantar/perfilar/sair. E basta.” (ABRAMOVICH, 1998, p. 53) Na Educação Infantil, o principal objetivo do trabalho com o movimento e expressão corporal é proporcionar à criança o conhecimento do próprio corpo, experimentando as possibilidades que ele oferece (força, flexibilidade, equilíbrio, entre outras). Isto proporcionará a ela integrá-lo e aceitá-lo, construindo uma auto-imagem positiva e confiante. Para isso o professor deve proporcionar atividades, fora e dentro da sala de aula, onde a criança possa se movimentar. Alongamentos, ioga, circuitos, brincadeiras livres, jogos de regras, tomar banho de mangueira, subir em árvores... são diversas as possibilidades. O professor deve organizá-las e planejá-las, mas sempre com um espaço para a invenção e colaboração da criança. O momento do parque também assume uma conotação diferente. Não é apenas um intervalo para descanso das crianças e dos professores. É mais um momento de desafio, afinal, há aparelhos, árvores, areia, baldinhos e pás, pneus, cordas, bolas, bambolês e tantas brincadeiras que esses materiais oferecem. O professor deve estar próximo, auxiliando e estimulando a criança a desenvolver a sua motricidade e socialização, ajudando, também, a resolver os conflitos que surgem nas brincadeiras quando, porventura, as crianças não forem capazes de solucioná-los sozinhas.
Atividades Extra-Classe
(Interação com a comunidade)
A sala de aula e o espaço físico da escola não são os únicos espaços pedagógicos possíveis na Educação Infantil. Em princípio, qualquer espaço pode tornar-se pedagógico, dependendo do uso que fazemos dele. Praças, parques, museus, exposições, feiras, cinemas, teatros, supermercados, exposições, galerias, zoológicos, jardins botânicos, reservas ecológicas, ateliês, fábricas e tantos outros. O professor deve estar atento à vida da comunidade e da cidade onde atua, buscando oportunidades interessantes, que se relacionem aos projetos desenvolvidos na classe, ou que possam ser o início de novos projetos. Isto certamente enriquecerá e ampliará o projeto político-pedagógico da instituição, que não precisa ser confinando à área da escola. Podem haver até mesmo intercâmbios com outras instituições educacionais.
Obs.: Quadro baseado em DEVIRES e ZAN (1998). Utilizamos algumas terminologias das autoras, acrescentando elementos da nossa própria prática pedagógica.
            A rotina é um elemento importante da Educação Infantil, por proporcionar à criança sentimentos de estabilidade e segurança. Também proporciona à criança maior facilidade de organização espaço-temporal, e a liberta do sentimento de estresse que uma rotina desestruturada pode causar. Entretanto, como vimos, a rotina não precisa ser rígida, sem espaço para invenção (por parte dos professores e das crianças). Pelo contrário a rotina pode ser rica, alegre e prazerosa, proporcionado espaço para a construção diária do projeto político-pedagógico da instituição de Educação Infantil. Vale, ainda, lembrar que “a dinâmica de um grupo de crianças é maior que a rotina da creche” (BATISTA, 2001). Isto é, a rotina aqui proposta é apenas uma sugestão, pois a melhor rotina para cada grupo de crianças só pode ser estabelecida pelo seu professor, no contato diário com as crianças.
Avaliação na Educação Infantil: o adulto como um dos mediadores do desenvolvimento infantil.
            Nenhuma proposta de organização do trabalho pedagógico está completa sem expressar sua concepção sobre avaliação. Afinal, a forma como os educadores realizam suas avaliações sobre os alunos expressam, em último grau, a sua concepção de educação. Seja como uma educação repressora e bancária, onde o professor deposita o conhecimento, que o aluno deve reproduzir. Ou como uma educação progressista e democratizadora, voltada para o pleno desenvolvimento do ser humano, de sua consciência crítica, de sua capacidade de ação e reação. Nesta última visão a avaliação não tem a função de medir, comparar, classificar, e aprovar/reprovar, excluindo aqueles que não chegam ao padrão preestabelecido. Mas a função de proporcionar ao professor uma melhor compreensão sobre a aprendizagem dos alunos, avaliando constantemente o trabalho pedagógico por ele oferecido aos alunos, a fim de poder superar as dificuldades encontradas. É esta a concepção que defendemos.
            No que se refere à Educação Infantil, esta postura avaliativa significa a adoção de “posturas contrárias à constatação e registro de resultados alcançados pela criança a partir de ações dirigidas pelo professor, buscando, ao invés disso, ser coerente à dinâmica do seu processo de desenvolvimento, a partir do acompanhamento permanente da ação da criança e da confiança na evolução do seu pensamento. Tal postura avaliativa mediadora parte do princípio de que cada momento de sua vida representa uma etapa altamente significativa e precedente as próximas conquistas, devendo ser analisado no seu significado próprio e individual em termos de estágio evolutivo de pensamento, de suas relações interpessoais. E percebe-se, daí, a necessidade do educador abandonar listagens de comportamentos uniformes, padronizados, e buscar estratégias de acompanhamento da história que cada criança vai constituindo ao longo de sua descoberta do mundo. Acompanhamento no sentido de mediar a sua ação, favorecendo-lhe desafios, tempo, espaço e segurança em suas experiências.” (HOFFMANN, 1996, p. 24)
            Esta proposta de avaliação concebe o professor/adulto como mediador. Isto significa que não é esperado que, na avaliação, a criança reproduza os conhecimentos que o professor transmitiu. Pois aqui o professor não é a única “fonte” de conhecimento. O conhecimento surge da relação que a criança estabelece com as outras crianças (de diferentes idades), com os adultos (pais, professores, e outros) com o meio ambiente e com a cultura. Por tanto, ela jamais irá reproduzir uma informação recebida, mas sim irá fazer a leitura desta informação, de acordo com os recursos de que dispõe. O professor, as outras crianças, o meio, a cultura, todos estes elementos são agentes mediadores entre a criança e a informação. Entre conhecimento e desenvolvimento. Entre cultura e inovação.
            Por isto, não há como avaliar a criança de acordo com expectativas preestabelecidas pelo adulto. Não é possível preencher listas, formulários ou boletins, pois isto tudo significaria comparar e medir, classificando as crianças. O registro da avaliação deve ser o registro da história vivida pela criança, no período descrito. Desta forma podem ser utilizados relatórios descritivos e porta-fólios, por exemplo. Quanto aos relatórios descritivos, estes devem ser elaborados de maneira que “ao mesmo tempo que refaz e registra a história do seu processo dinâmico de construção do conhecimento, sugere, encaminha, aponta possibilidades da ação educativa para pais, educadores e para a própria criança. Diria até mesmo que apontar caminhos possíveis e necessários para trabalhar com ela é o essencial num relatório de avaliação, não como lições de atitudes à criança ou sugestões de procedimentos aos pais, mas sob a forma de atividades a oportunizar, materiais a lhe serem oferecidos, jogos, posturas pedagógicas alternativas na relação com ela.” (HOFFMANN, 1996, p. 53)
            Enfim, esta é uma proposta de avaliação em que não apenas a criança é avaliada, mas todo o trabalho pedagógico oferecido a ela também é avaliado, repensado e modificado sempre que necessário. Não é uma avaliação final, pontual, retratando um único momento da criança. Mas uma avaliação processual, que, entretanto, é registrada periodicamente.
Concluindo (por enquanto).
            Como afirma o Dr. Lisboa, “O fundamental para as crianças menores de seis anos é que elas se sintam importantes, livres e queridas.” (LISBOA, 2001) Este deve ser o objetivo fundamental de qualquer ação educativa voltada para as crianças de 0 a 6 anos. A organização do trabalho pedagógico visando alcançar estes objetivos pode assumir várias formas, expressas em diferentes métodos. Mas, necessariamente, tem de ser pautada por uma postura de respeito à criança: ao seu ritmo de desenvolvimento, à sua origem social e cultural, às suas relações e vínculos afetivos; à sua expressão (plástica, oral, escrita, em todos os tipos de linguagem) e às suas idéias, desejos e expectativas. Sem, porém, jamais abdicar da procura por ampliar, cada vez mais, este mundo infantil.
Bibliografia
ABRAMOVICH, Fanny. O professor não duvida! Duvida? São Paulo: Gente, 1998.
BATISTA, Rosa. A rotina no dia-a-dia da creche: entre o proposto e o vivido. Trabalho apresentado
na reunião anual da ANPEd, em outubro/2001.
BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998.
CUNHA, Suzana R. V. da (org.). Cor, som e movimento: a expressão plástica, musical e dramática
no cotidiano da criança. Porto Alegre: Mediação, 2001.
DEVIRES, Rheta; ZAN, Betty. A ética na educação infantil: o ambiente sócio-moral na escola. Porto
Alegre: Artes Médicas, 1998.
HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação na pré-escola: um olhar sensível e reflexivo sobre a
criança. Porto Alegre: Mediação, 1996.
KAMII, Constance; DEVRIES, Rheta. Piaget para a educação pré-escolar. Porto Alegre: Artes
médicas, 1991.
KRAMER, Sônia (org.). Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a educação
infantil. São Paulo: Ática, 1999, 13 ed.
KRAMER, Sônia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. São Paulo: Cortez, 1995, 5
ed.
KRAMER, Sônia; SOUZA, Solange Jobim e (org.). Educação ou tutela? A criança de 0 a 6 anos. São
Paulo: Loyola, 1991.
LISBOA, Antônio Márcio Junqueira. Correio Braziliense, 20/04/2001.
LISBOA, Antônio Márcio Junqueira. O seu filho no dia-a-dia: dicas de um pediatra experiente. Vol. 3.
Brasília: Linha Gráfica, 1998.
OSTETTO, Luciana Esmeralda (org.). Encontros e encantamentos na educação infantil: partilhando
experiências de estágios. Campinas, SP: Papirus, 2000.
WINNICOTT, Donald Woods. A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1982.

Taicy de Ávila Figueiredo
Pedagoga, mestranda em Educação. Professora de Educação Infantil, atuando na Secretaria de Educação do Distrito Federal.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES EM ARTES

Colagem livre
Pintura em guache sobre papel
Giz molhado (giz, água e papel)
Pintura/Desenho com lixa (lápis de cera e lixa)
Pintura com areia (papel, areia, anilina e cola)
Massa de modelar (óleo, farinha de trigo e anilina)
Pintura no isopor (tinta, pincel e isopor)
Desenho com giz de cera (papel e giz de cera)
Pintura com esponja (tinta, papel e esponja)
Desenho com cordão (papel, cordão e cola)
Trabalho com papel amassado (revistas)
Trabalhando com argila
Trabalhando com gesso
Colagem com laminado (papel laminado, cola e papel)
Pintura com carvão (carvão e papel metro)
Trabalhando com sucata
Desenho com hidrocor (papel e hidrocor)
Desenho com folhas espelhadas (folhas, papel e giz de cera)
Carimbo com verduras (verduras, tintas e papel)
Pintura de caixa com tinta (caixas e tintas)
Pintura de caixa com lápis de cera (caixas e lápis de cera)
Pintura com tecido (tecido e tinta)
Montagem de instalações (cômodos da casa, escola, etc.)
Colagem com papéis rasgados

Nenhum comentário:

Postar um comentário