terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Como criar bons hábitos de estudo em casa: dicas para pais

Por Simaia Sampaio
1. Determine as regras de estudo a serem seguidas e seja firme fazendo seu filho cumpri-las. Não se pode abrir concessões em relação aos estudos, pois é necessário haver disciplina, para que ele possa se organizar e saber o que deve fazer.
2. Verifique sempre sua agenda, o que já fez ou o que deixou de fazer. Veja os cadernos e livros e se realmente fez as atividades. Ajude-o na organização dos espaços e letra. Mesmo que seu filho não tenha uma boa letra, se ele mantiver espaços razoáveis entre uma palavra e outra, entre uma linha e outra, mantiver o caderno limpo, sem rasuras, conseguirá se organizar melhor em seus estudos. Se você chega tarde do trabalho, peça que ele faça as atividades, sozinho e separe meia hora, quando chegar, para ajudá-lo com as atividades que teve dúvidas. Com o tempo ele vai adquirindo autonomia ate não precisar mais de seu auxílio.
3. Se, por acaso, ele não está fazendo as atividades, use sua afetividade para explicar a ele que ele é responsável pelo seu desempenho escolar, mas você é responsável por ele e por isso está cobrando seus esforços. Diga que o ama e quer que ele tenha sucesso nos estudos e seja um adulto bem sucedido.

O papel de seu filho é estudar e o seu é de estar junto para ajudá-lo, trocando idéias, interessando-se pelos assuntos que está vendo em sala e conversando sobre estes para que façam sentido para ele.
4. Entre num acordo com seu filho sobre a rotina de estudos. Se ele estuda pela manhã, ele chegará em casa, irá almoçar, descansar um pouco e estudar mais ou menos às 14h. Não permita que ao invés de descansar ele jogue vídeo game ou fique no computador, pois irá ficar ainda mais cansado. Se ele estuda no turno vespertino, pode dividir as tarefas realizando algumas à noite e outras pela manhã, já que normalmente está cansado à noite.
Se perceber que seu filho está cansado não o obrigue a estudar para que não associe o momento de estudo com um castigo.
5. Evite que a família veja televisão no horário que seu filho estiver estudando, ou que conversem alto, para não desconcentrá-lo.
Não permita que ele estude ouvindo música, assistindo televisão, parando para falar ao telefone. Se tiver irmãos menores, tire-os de perto.
6. O ideal é que seu filho tenha um ambiente de estudo, como uma escrivaninha no quarto, com boa iluminação e ventilação, uma cadeira confortável, com encosto e pés no chão. Ajude-o a manter a mesa organizada, sem jogos, fotos, revistas e objetos que desvie sua atenção. Se não tiver, pode ser na mesa de jantar, mas como disse antes, num horário em que o movimento familiar não atrapalhe. Se ele divide o quarto com os irmãos, estabeleça horários diferentes de estudo para cada um.
7. Jamais faça as lições por seu filho. Você poderá ajudá-lo com suas dúvidas dando exemplos e fazendo-o pensar sobre a questão, mas nunca dê a resposta. Estimule seu filho a tirar a dúvida com o professor em sala de aula, se não entendeu a sua explicação.
8. Ensine-o a realizar as tarefas utilizando métodos:
- Ler e reler quantas vezes forem necessários;
- Entender;
- Pesquisar;
- Questionar;
- Comparar;
- Revisar.
9. Confira se seu filho entendeu o assunto que estudou fazendo-lhe perguntas. Para isto é preciso que você esteja por dentro dos assuntos que ele está vendo na escola. Se perceber que ele não está entendendo bem o assunto, dê exemplos do dia-a-dia para que o conteúdo que ele está vendo na escola faça sentido em sua vida.
10. Elogie sempre as conquistas de seu filho. Não exija a perfeição, mas elogie sempre que perceber que ele está superando algumas dificuldades ou sempre que conseguir entender um assunto. Cuidado com os elogios exagerados e falsos, a criança percebe quando você não está sendo sincero. Desta forma, melhor dizer: “tenho certeza que da próxima vez você irá conseguir”.
11. Evite críticas negativas ou comparações com irmãos ou colegas. Se ele escreveu um trabalho desorganizado, com a letra feia, evite dizer: É esse lixo que você vai entregar? Ao invés disso, explique-lhe que o professor irá entender melhor se sua letra estiver mais organizada, com espaços entre as linhas e sem rasuras. Pergunte se ele quer sua ajuda para organizar o trabalho.
12. Se mesmo com toda esta atenção seu filho não conseguir evoluir bem, procure uma psicopedagoga para uma avaliação, pois em muitos casos pode tratar-se de um distúrbio de leitura e escrita e por mais que a criança se esforce terá certa dificuldade, o que não quer dizer que ele terá fracasso, NÃO!, mas necessitará de apoio da escola e da sua compreensão enquanto mãe e pai.
13.  E lembre-se: o acompanhamento dos pais nos estudos dos filhos é de fundamental importância para o bom desenvolvimento escolar, mas deve ser feito com afeto. Se não tiver paciência melhor procurar alguém que possa auxiliá-lo. Os gritos e ameaças afetam sua auto-estima e seu filho além de um problema de aprendizagem vai acabar agregando um problema emocional. 

Simaia Sampaio é Neuropsicopedagoga, atua como Psicopedagoga Clínica, é professora de cursos de Pós-graduação em Psicopedagogia, Palestrante, Autora de livros. Site: www.psicopedagogiabrasil.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário